Escola Municipal de Ballet e Dança

Escola Municipal de Ballet e Dança (desde 1999)
O Ballet é uma Arte conhecida pela sua beleza, leveza e graciosidade. Encanta o público, sobretudo as meninas por combinar a dança, a música, os fatos e os cenários.

Local
Cine-Teatro Municipal

Funcionamento

Quarta-feira às 18 horas
Inscrições na Câmara Municipal
A partir dos 3 anos de idade

Atividades
Aulas e Espetáculos

Contactos
Telf: 232980000
Fax: 232982093
E-mail: geral@cm-satao.pt

Tutela
Câmara Municipal de Sátão

Breve Nota
Única Escola de Ballet em Portugal, pertença de um Município. 

Ter aulas de Ballet pode ser estimulante e um grande desafio; cada exercício segue um padrão que ajudará a dar postura corporal, graciosidade e agilidade. Embora possam parecer repetitivos, os exercícios articulam a musicalidade e o ritmo, desenvolvendo a coordenação e a expressão dos movimentos corporais. Todos os passos variam em velocidade, direção e tipologia, o que os torna interessantes de executar.

O Ballet é uma disciplina bem definida, ensinada da mesma maneira no mundo inteiro. É baseada em dois grandes princípios:
1.O “en dehors” que significa que os pés e as pernas ficam voltados para o exterior. Para que serve? Para evitar, quando levantamos a perna, o bloqueamento da articulação da anca; graças ao “en dehors”, as pernas têm maior liberdade e amplitude de movimentos.
2.As cinco posições dos pés e braços que começam e terminam todos os passos.
Estes dois princípios foram regulamentados pelo Rei Luís XIV da França, fundador da Academia Real de Dança de Paris, hoje denominada Ópera de Paris e, pelos grandes mestres da dança do século XVII, nomeadamente Beauchamp, professor de bailado do próprio rei. É por esta razão que a língua francesa é utilizada no mundo inteiro para designar os passos, movimentos e vocabulário do Ballet clássico. 

BALLET – BREVE HISTORIAL
BALLET é uma expressão europeia que surgiu no século XVI, no final da Idade Média, em Itália e França. O Ballet emergiu na sequência das festas que os nobres ofereciam aos visitantes, onde havia poesia, música, mímica e dança. Leonardo Da Vinci chegou a desenhar cenários para estes espetáculos.

Em 1581 foi Catarina de Médicis que levou de Itália para França, um grupo de músicos, bailarinos e artistas, apresentando à Corte francesa o Ballet Cómico da Rainha. Este evento, acabou por levar a que tivessem sido criados conjuntos de dança em todo o mundo. O rei Luís XIV, algumas décadas depois, foi um dos grandes impulsionadores da propagação do Ballet, ele próprio, com 12 anos, dançou pela primeira vez no ballet da corte. O seu amor pela dança levou-o a criar, em 1661, a Real Academia de Ballet e a Real Academia de Música e, em 1669, a Escola Nacional de Ballet. Aí, o professor Pierre Beauchamp criou as cinco posições de pés que são a base do ballet clássico. Este tipo de dança passou a ser uma profissão e os espetáculos deixaram os salões da corte para passarem a ter lugar em teatros. As academias já eram abertas a mulheres e lá foram formadas as primeiras bailarinas, já nos finais do século XVII.

A técnica de Ballet Clássico toma formas e passa ao ensino oficial, à investigação e à criação coreográfica. A organização dos estudos, o regulamento, os critérios de seleção, permitirá a esta Academia o desenvolvimento necessário e a mais alta reputação do Ballet no mundo inteiro, pois para ser compreendido não precisava de ser traduzido. No meio de várias outras inovações, surgiram, pouco depois, as saias transparentes, que ficaram conhecidas por "tutu", as sabrinas sem saltos e as Pontas.

Em Portugal, a tradição do Ballet não foi na realidade implantada pelo passado, apesar do Teatro Nacional de S. Carlos ter aberto as suas portas em 1793 com dois bailados de Gióia. Em contrapartida, o folclore rico e variado suscitou a criação de grupos de inspiração popular, nomeadamente o famoso e reputado “Verde-gaio”, em 1939, treinados pelo Professor/Mestre Ivo Cramer. Assim nasceu o Ballet Nacional.